O Anjo da História

prof. Delmonte

Canções comentadas:

Alexandre (Caetano Veloso) - Cd "Livro" - 1997

Caetano deve ter lido a trilogia “Aléxandros” do historiador italiano Valério Massimo Manfredi, best-seller nos anos 90. O quanto o compositor se impressionou com o objeto da canção equivale ao quanto a canção é mesmo impressionante. A letra contém praticamente todas as passagens importantes da biografia de Alexandre Magno: a doma do indomável cavalo Bucéfalo, as lições recebidas do sábio de Estagira (Aristóteles), sua relação homoerótica com Hefestião, o episódio do "nó górdio", as conquistas juvenis, a importância do pai Felipe e da mãe Olímpia, a impressionante extensão do Império de Alexandre, etc. E tudo isso foi dito no curto tempo que dura uma canção. 

 

O arranjo da música também impressiona. Com proposital exagero e misturando instrumentos tão diversos quanto uma linha de tambores baianos bem marcados, um ataque de metais grandiosos e uma guitarra nervosa (talvez imitando os raios de Zeus Olímpico!), uma trompa que faz o contraponto em alguns momentos, tudo isso contribue para uma mistura e grandiosidade típicas do período Helenístico e do personagem evocado. Formalmente é perfeito, pois o período Helenístico - que caracterizou o domínio macedônico - foi mesmo marcado pela fusão de elementos gregos e orientais. Imaginem os escultores clássicos de Alexandre quando viram as pirâmides do Egito! Por isso a característica artística do período tende a ser o exagero e a mistura. Assim Caetano Veloso, vaidoso de seu signo de Leão, também prestou homenagem ao leonino Alexandre Magno que foi tão famoso em seu tempo que acabou, por tradição, determinando a idade de Cristo. Sabemos que Alexandre morreu com 33 anos, portanto ainda jovem. Ninguém sabia ao certo a idade de Cristo, mas sabemos que morreu jovem, por isso convencionou-se dizer também que Cristo morreu com 33 anos.

 

Alexandre (Caetano Veloso)

 

  1. Ele nasceu no mês do leão, sua mãe uma bacante

  2. E o rei seu pai, um conquistador tão valente

  3. Que o príncipe adolescente pensou que já nada restaria

  4. Pra, se ele chegasse a rei, conquistar por si só

  5. Mas muito cedo ele se revelou um menino extraordinário

  6. O corpo de bronze, os olhos cor de chuva e os cabelos cor de sol

  7.  

  8. Alexandre, de Olímpia e Felipe o menino nasceu, mas ele aprendeu

  9. Que seu pai foi um raio que veio do céu

  10. Ele escolheu seu cavalo por parecer indomável

  11. E pôs-lhe o nome Bucéfalo ao dominá-lo

  12. Para júbilo, espanto e escândalo de seu próprio pai

  13. Que contratou para seu perceptor um sábio de Estagira

  14. Cuja a cabeça sustenta ainda hoje o Ocidente

  15. O nome Aristóteles - nome Aristóteles - se repetiria

  16. Desde esses tempos até nossos tempos e além

  17. Ele ensinou o jovem Alexandre a sentir filosofia

  18. Pra que mais que forte e valente chegasse ele a ser sábio também

  19.  

  20. (refrão)

  21.  

  22. Ainda criança ele surpreendeu importantes visitantes

  23. Vindos como embaixadores do Império da Pérsia

  24. Pois os recebeu na ausência de Felipe com gestos elegantes

  25. De que o rei, seu próprio pai, não seria capaz

  26. Em breve estaria ao lado de Felipe no campo de batalha

  27. E assinalaria seu nome na história entre os grandes generais

  28.  

  29. (refrão)

  30.  

  31. Com Hefestião, seu amado, seu bem na paz e na guerra

  32. Correu em honrra de Pátroclo- os dois corpos nus -

  33. Junto ao túmulo de Aquiles, o herói enamorado, o amor

  34. Na grande batalha de Queronéia, Alexandre destruía

  35. A esquadra Sagrada de Tebas, chamada Invencível

  36. Aos dezesseis anos, só dezesseis anos, assim já exibia

  37. Toda a amplidão da luz do seu gênio militar

  38. Olímpia incitava o menino do Sol a afirmar-se

  39. Se Felipe deixava a família da mãe de outro filho dos seus se insinuar

  40.  

  41. (Refrão)

  42.  

  43. Feito rei aos vinte anos, transformou a Macedônia

  44. Que era um reino periférico, dito bárbaro, 

  45. Em esteio do helenismo e dos gregos, seu futuro, seu sol

  46. O grande Alexandre, o Grande, Alexandre

  47. Conquistou o Egito e a Pérsia

  48. Fundou cidades , cortou o nó górdio, foi grande;

  49. Se embriagou de poder, alto e fundo, fundando o nosso mundo,

  50. Foi generoso e malvado, magnânimo e cruel;

  51. Casou com uma persa, misturando raças, mudou-nos terra, céu e mar,

  52. Morreu muito moço, mas antes se impôs do Punjab a Gilbraltar...

 

 

Glossário

 

1. Bacante: prostituta. Olímpia, mãe de Alexandre foi também uma dançarina antes de ter se tornado esposa do rei Felipe da Macedônia.

 

11. Bucéfalo: Alexandre na adolescência foi domador de cavalos. Bucéfalo foi seu cavalo predileto, ele não participava de nenhuma batalha se não estivesse com seu cavalo. Quando Bucéfalo morreu Alexandre caiu em uma grande tristeza.

 

13. Aristóteles nasceu na cidade de Estagira, foi pra Atenas ser aluno de Platão e depois de Atenas conquistada seguiu para a Macedônia, contratado por Felipe para ser professor de Alexandre.

 

31. Hefestião foi namorado de Alexandre. O homossexualismo masculino era uma prática aceita na Grécia antiga. "Correr em honra de Patroclo, junto ao túmulo de Aquiles" é uma referência a um episódio da "Ilíada" de Homero.

 

38 e 39. Esses dois versos são muito interessantes. Olímpia estimulava Alexandre a se afirmar frente aos outros filhos de Felipe com outras mulheres, ou seja, incentivava seu filho a ser rei.

 

45. O Império de Alexandre foi mesmo o divulgador e guardião da cultura grega. A expansão do império levou a cultura grega a misturar-se com a cultura oriental dando origem ao período helenístico ou helenismo. Uma fusão de elementos gregos e orientais.

 

48. Cortou o nó górdio: