O Anjo da História

prof. Delmonte

Lista de filmes

Ditadura Militar (1964-1985) 

 

   - Clique no cartaz para ver no Youtube (quase todos!) ;)

 

  • Hoje (2011) - dir. Tata Amaral. Baseado no livro de Fernando Bonassi, "Prova Contrária", com a atriz Denise Fraga no papel principal. Uma mulher esperou seu marido - desaparecido durante a ditadura militar - por mais de 20 anos. Quando ela finalmente desiste de esperá-lo e tenta reorganizar a sua vida sem ele, eis que ele aparece.

 

 

  • Zuzu Angel (2006) - dir. Sérgio Rezende. A estilista Zuzu Angel perdeu o único filho, torturado e assassinado por engano durante a ditadura. Sua luta para encontrar os restos mortais de seu filho e encontrar os culpados de sua morte levou-a também a ser "assassinada" em um acidente de automóvel. Foi para ela que Chico Buarque compôs a canção "Angélica".

 

  • A Taça do Mundo é Nossa (2003) - dir. Lula Buarque de Hollanda. Uma comédia do "Casseta & Planeta", na época do lançamento do filme era o grupo de humor mais popular do Brasil e tinham um programa semanal na tv Globo. O filme é uma sátira da ditadura militar.

 

  • O que é isso companheiro? (1997) - dir. Bruno Barreto. Baseado no livro homônimo de Fernando Gabeira conta a história do sequestro do embaixador Charles Elbrick em 1969. Retrata a reação da luta armada e seus grupos: MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de outubro) e AP (Ação Popular) logo após o AI-5. Assista também os documentários Hércules 56 e Cidadão Boilisen.

 

  • Lamarca (1994) - dir. Sérgio Rezende. O diretor Sérgio Rezende é um realizador de vários filmes com temática histórica. Lamarca conta a história do capitão Carlos Lamarca que desertou do exército e passou para a luta armada contra a ditadura. 

 

  • Kuarup (1989) - dir. Ruy Guerra. Baseado no livro homônimo de Antonio Callado, foi a mais cara produção cinematográfica até aquela época. Kuarup é um ritual de luta entre os índios, o filme se passa na Amazônia.

 

  • Ação entre Amigos (1989) - dir. Beto Brant. Um grupo de amigos vai pescar em uma cidade do interior quando um deles reconhece seu torturador. 

 

  • Pra frente Brasil (1982) - dir. Roberto Farias. Famoso filme que foi lançado ainda na ditadura e tratava de assunto polêmico como a tortura e o ufanismo. Durante a Copa de 1970 um advogado é confundido com um subversivo e é terrivelmente torturado enquanto o Brasil assiste ao campeonato de futebol.

 

  • Eles não usam black-tie (1981) - dir. Leon Hirszman. Filme baseado na peça homônima de Gianfrancesco Guarnieri sucesso no Teatro de Arena em 1958. Conta o drama de uma família de operários durante uma greve. Destaque para a interpretação de Fernanda Montenegro e o próprio autor do texto, Gianfrancesco Guarnieri. 

 

  • O homem que virou suco (1981) - dir. João Batista de Andrade. O ator José Dumont é brilhante em sua interpretação de um nordestino que é tragado pela metrópole de São Paulo.

 

 

Documentários sobre a Ditadura

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais filmes sobre a Ditadura

 

  • Tatuagem (2013), Hilton Lacerda – A estreia do roteirista Hilton Lacerda na direção é um libelo à liberdade e um manifesto anárquico contra a censura. Protagonizado por um grupo teatral do Recife, o filme contrapõe militares e artistas em plena ditadura militar, mas transforma os últimos nos verdadeiros soldados. Os soldados da mudança. Irandhir Santos, grande, interpreta o líder da trupe. Ele cai de amores pelo recruta vivido pelo estreante Jesuíta Barbosa, que fica encantado pelo modo de vida do grupo.

 

  • A Memória que Me Contam (2013) - dir. Lúcia Murat. Uma ex-revolucionária (Irene Ravache) reencontra companheiros de resistência em uma sala de hospital. Eles esperam por notícias da também guerrilheira Ana, personagem inspirada em Vera Silvia Magalhães, amiga de Murat na vida real e a quem o filme é dedicado.

 

  • Topografia de um desnudo (2009) - dir. Teresa Aguiar.

 

  • Corpo (2007) - dir. Rossana Foglia e Rubens Rewald. O filme narra a obsessão do legista Artur (Leonardo Medeiros) em descobrir a identidade de um cadáver encontrado em meio a restos mortais de presos políticos durante a ditadura.

 

  • Batismo de Sangue (2007) - dir. Helvécio Ratton. Baseado no livro homônimo de Frei Betto, prêmio Jabuti de Literatura em 1985. Frades dominicanos, entre eles Frei Betto e Frei Tito, abrigam um grupo subversivo, a ALN, e seu líder Carlos Marighella. Por isso os frades também passam a ser perseguidos pela ditadura e sofrem torturas físicas e psicológicas. 

 

  • Cabra Cega (2005) - dir. Toni Venturi. Em seu melhor longa de ficção, Toni Venturi faz um retrato dos militantes que viviam confinados à espera do dia em que voltariam à luta armada. Leonardo Medeiros vive um guerrilheiro ferido, que se esconde no apartamento de um amigo, e que tem na personagem de Débora Duboc seu único elo com o mundo externo. Isolado, começa a enxergar inimigos por todos os lados. Belas interpretações da dupla de protagonistas.

 

  • Quase Dois Irmãos (2004) - dir. Lúcia Murat. O reencontro de dois amigos de infância com trajetórias marcadas por semelhanças e diferenças. Nos anos 1970, eles foram enviados à mesma penitenciária e enquadrados na Lei de Segurança Nacional. Depois, um se tornou político e o outro, chefe do tráfico.

 

  • A Terceira Morte de Joaquim Bolívar (2000) - dir. Flávio Cândido. O filme acompanha o conflito ideológico de 35 anos entre um barbeiro comunista, Joaquim Bolívar, e o coronel Gaudêncio, manda-chuva de uma fictícia cidade do Rio de Janeiro.

 

  • Dois córregos - verdades submersas no tempo (1999) - dir. Carlos Reichenbach.

 

  • Corpo em Delito (1990) - dir. Nuno César Abreu. O ator Lima Duarte faz o papel de Athos, um médico legista que falsifica laudos para encobrir mortes causadas pela repressão durante a década de 1970. Após se aposentar e se dedicar à carreira de escritor, ele continua assombrado pelos acontecimentos do passado.

 

  • Tanga - Deu no New York Times? (1987) - dir. Henfil. Comédia dirigida pelo cartunista Henfil sobre a vida na miserável ilha de Tanga, na qual um ditador baseia suas decisões a partir da única edição do jornal norte-americano "New York Times" que chega ao local. Para conquistar o poder, guerrilheiros lutam para ter acesso ao diário.

 

  • Nunca fomos tão felizes (1984) - dir. Murilo Salles. Rodado no último ano do regime militar, a estreia de Murilo Salles na direção mostra o reencontro entre pai e filho, depois de oito anos. Um passou anos na prisão; o outro vivia num colégio interno. Os anos de ausência e confinamento vão ser colocados à prova num apartamento vazio, onde o filho vai tentar descobrir qual a verdadeira identidade de seu pai. Um dos melhores papéis da carreira de Claudio Marzo.

 

  • Manhã Cinzenta (1968) - dir. Olney São Paulo. Em plena vigência do AI-5, o cineasta-militante Olney São Paulo dirigiu este filme, que se passa numa fictícia ditadura latino-americana, onde um casal que participa de uma passeata é preso, torturado e interrogado por um robô, antecipando o que aconteceria com o próprio diretor. A ditadura tirou o filme de circulação, mas uma cópia sobreviveu para mostrar a coragem de Olney São Paulo, que morreu depois de várias sessões de tortura, em 1978.

 

 

 

 

Mais documentários sobre a ditadura militar:

 

Uma longa viagem (2011) - dir. Lúcia Murat

 

Diário de uma busca (2010) - dir. Flávia Castro

 

Araguaya - a conspiração do silêncio (2004) - dir. Ronaldo Duque.
 

Tempo de Resistência (2003) - dir. André Ristum.